O objetivo da logística de transporte – entregar o produto certo e intacto, na data prometida, no local correto, com o menor custo possível – é um desafio e tanto!

É que envolve processos complexos, e muitas ações devem estar absolutamente alinhadas e dentro do cronograma.

Por isso, o transporte é uma das principais funções logísticas: por meio dele, o produto sai do ponto inicial de produção até o destino final, o consumidor.

Além de representar, em média, 60% das despesas logísticas, ele é diferencial competitivo, muitas vezes determinante para a satisfação do consumidor.

Neste mundo globalizado, em que as compras online não param de crescer e os consumidores são cada vez mais exigentes, a logística e, em especial o transporte, são essenciais para o crescimento das empresas.

Afinal, de que adianta produzir produtos de alta qualidade com preço justo e ter um canal de vendas eficiente se ele não chegar ao consumidor no prazo combinado?

Por aí se vê que a logística de transporte é fundamental para toda empresa que precisa fazer com que seus produtos cheguem aos clientes, seja B2B, seja B2C, no momento certo, sem contratempos ou prejuízos.

Pensando que o atraso nas entregas ou a integridade das mercadorias podem colocar em risco a reputação e o sucesso de uma empresa, as funções de transporte e logística vão além da movimentação de materiais e passam a constituir uma ferramenta de gestão extremamente valorizada.

Portanto, para fazer com que a operação logística seja bem-sucedida, é necessário viabilizar a qualidade dos produtos, a automação de processos, o gerenciamento da frota e a agilidade na entrega.

O que é logística de transporte?

“Deslocamento de bens de um ponto a outro da rede logística, respeitando as restrições de integridade da carga e de confiabilidade de prazos. Não agrega valor aos produtos, mas é fundamental para que os mesmos cheguem ao seu ponto de aplicação, de forma a garantir o melhor desempenho dos investimentos dos diversos agentes econômicos envolvidos no processo”, diz a FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) sobre a logística de transporte.

Na verdade, a logística de transporte é um braço da logística que avalia cada entrega e determina qual é a forma mais econômica, ágil e segura de atender às demandas do consumidor. 

Para alcançar tal objetivo, considera:

  • custos da operação;
  • riscos envolvidos;
  • prazos estipulados;
  • tipos de carga; 
  • tipos de produto transportado; 
  • veículo mais indicado; 
  • volume transportado;
  • distância;
  • rota percorrida;
  • tempo de deslocamento;
  • modal ideal.

Vantagens da logística de transporte

1 – Otimização do tempo

Ao definir a melhor forma de entregar determinada carga, além de planejar e acompanhar o trajeto do início ao fim, é possível reduzir o tempo de entrega.

2 – Redução de avarias nas mercadorias

Faz parte da logística de transporte eficiente considerar os cuidados específicos que cada tipo de mercadoria exige, como equipamentos adequados para efetuar o transporte, para que chegue intacta ao destino.

Além de minimizar as avarias durante a entrega, sem comprometer custos, as despesas ainda podem ser reduzidas em longo prazo.

Tecnologia na logística de transportes

Inúmeras inovações tecnológicas, que permitem a troca de informações em tempo real e deixam ainda mais seguro e ágil o transporte de mercadorias, foram abarcadas pela logística de transportes.

Alguns sistemas realizam a gestão do processo logístico, desde o recebimento do pedido até a entrega ao cliente, auxiliando na organização dos processos, planejamento, acompanhamento e controle.

As ferramentas digitais transformaram o segmento de transportes, funcionando como verdadeira aliada na logística de transporte, melhorando os processos e reduzindo custos. 

A tecnologia abriu caminhos para a logística de transporte, gerando: 

  • aumento da produtividade;
  • melhoria nos processos;
  • redução de custos;
  • monitoramento em tempo real: o monitoramento por telas permite que os principais itens de controle sejam acessados e interpretados com facilidade;
  • rastreamento de carga: a possibilidade de acompanhar todo o caminho de um produto, desde seu envio até sua entrega ao comprador, permite acompanhar o percurso: tráfego, velocidade e tempo gasto nas paradas. Catalogar, monitorar e acompanhar a carga traz segurança e ajuda a criar uma ótima relação de confiança com o cliente;
  • identificador por radiofrequência: a instalação de chips não rastreia apenas os veículos, mas também as mercadorias em tempo real, evitando extravios, roubos e perdas.
  • roteirizador de carga: baseado em análises de percurso e trânsito, o planejamento das rotas é uma ferramenta tecnológica que utiliza mapas digitais para determinar as melhores alternativas de trajetos;
  • telemetria: analógico ou digital, é um sistema que fornece informações e controles relacionados ao desempenho do veículo (distância percorrida, freadas bruscas, consumo de combustível, velocidade), motorista e da operação, por meio de diversos sensores instalados no veículo;
  • sistema TMS: Sistema de Gerenciamento de Transportes é um aplicativo voltado para o planejamento, controle e gestão de todos os processos relacionados ao transporte de cargas;
  • business intelligence: proporciona acesso a informações estratégicas que facilitam a gestão logística.

Por terra, por mar, ou por ar

A escolha do modal ou multimodais é bastante estratégica na logística de transporte. 

É preciso avaliar qual tipo de transporte – rodoviário, ferroviário, aéreo, aquaviário, dutoviário – oferece o melhor custo/benefício, considerando-se também segurança, tempo disponível, tipo de produto, etc. 

No Brasil, o transporte rodoviário é o mais utilizado, apesar da baixa infraestrutura das estradas, segurança no que diz respeito a roubos e furtos de carga, além da oscilação no preço dos combustíveis.

Algumas empresas, como a Sequoia,  investem em centros de distribuição em regiões estratégicas para ficarem mais próximas dos clientes e reduzirem custos.

Principais modais:

1 – Rodoviário

Mais utilizado modal de transporte no Brasil, responsável por 76% de toda a  distribuição logística no país, é o mais indicado para diferentes tipos de distâncias e pode ser usado para transportar os mais variados tipos de mercadoria.

2 – Ferroviário

Embora seja um meio de transporte barato, o Brasil conta com poucas ferrovias. Além disso, as rotas são fixas, não é possível flexibilizar o trajeto como no modal rodoviário. É indicado para cargas de grandes volumes entre maiores distâncias.

3 – Aéreo

Meio de transporte mais rápido e capaz de percorrer as maiores distâncias, é indicado para carregar produtos que exigem mais segurança e têm emergência de entrega entre destinos distantes. Devido ao custo, é uma ótima opção para produtos de pouco peso.

4 – Aquaviário

Também conhecido como hidroviário, é capaz de transportar peças de grande volume e peso em grandes distâncias, porém, é um modal um pouco mais lento.

5 – Dutoviário

Toda a operação é feita por meio de dutos e tubos subterrâneos ou submarinos. Costuma ser utilizado no transporte de cargas perigosas, que referem-se a produtos que podem oferecer riscos à saúde, ao meio ambiente ou à segurança da população, como produtos químicos, inflamáveis, tóxicos, gás natural, petróleo e armas de fogo.

Logística integrada

Para uma gestão mais abrangente, as funções logísticas deixaram de ser vistas de forma isolada e passaram a ser encaradas como um componente operacional estratégico na logística integrada.

Ou seja, trata-se da integração de todo o processo logístico, da origem dos produtos às mãos do consumidor final. 

Se a logística era responsável por processos como gestão de estoques e transporte, ganhou gerenciamento mais eficaz das atividades de compras, armazenagem, do processo produtivo e todas as etapas do transporte. Também pode acompanhar as atividades de fornecedores e parceiros, integrando processos e compartilhando informações ao longo da cadeia.

O principal benefício que a logística integrada proporciona é o controle sobre o fluxo dos produtos e processos. Com a integração das áreas e empresas envolvidas na cadeia logística, pode-se acompanhar um fluxo de venda do momento em que o fornecedor libera os produtos até a última ponta, que é a entrega ao cliente final.

Isso, na maioria dos casos, representa: 

  • melhores índices de produtividade;
  • redução de custos ao longo de toda a cadeia;
  • aumento da lucratividade;
  • criação de valor;
  • aumento da vantagem competitiva.

Dessa forma, o transporte passa a ter papel fundamental em várias estratégias na rede logística, como estoque e serviço ao cliente.

Logística integrada em prol do Serviço ao Cliente

O Serviço ao Cliente é um componente fundamental da Logística Integrada. O impacto do transporte no Serviço ao Cliente é um dos mais significativos e as principais exigências do mercado estão ligadas à pontualidade do serviço, à capacidade de prover um serviço porta-a-porta; flexibilidade no que diz respeito ao manuseio de uma grande variedade de produtos; gerenciamento dos riscos associados a roubos, danos e avarias e à capacidade do transportador em oferecer mais que um serviço básico de transporte, tornando-se capaz de executar outras funções logísticas.

Maior operadora logística de e-commerce e tecnologia do país, com expertise em soluções logísticas completas e integradas, expandiu sua atuação no setor de entregas expressas, mantém atualizadas sua soluções de tecnologia e conquista o mercado com serviços de excelência em execução e transportes B2B e B2C, a Sequoia oferece as melhores soluções de acordo com as necessidades de cada empresa.